quarta-feira, 13 de abril de 2011

Não era só bullying....

A medida que as evidências começam a ser exploradas, parece cada vez mais claro o papel que idéias religiosas tiveram na mente confusa e perturbada de Wellington Menezes de Oliveira...Por mais que queiram os líderes religiosos se distanciarem do ocorrido, é evidente que sob o prisma distorcido de uma mente doente como a deste jovem, a religião teve um papel importante. A folha de São Paulo publica hoje:

"Havia pelo menos três textos de caráter religioso na casa de Wellington --leia todos eles aqui. Os temas dos textos do pastor eram inferno, alma e espírito, e morte e ressurreição. Nenhum deles induz a ataques homicidas nem faz apologia à violência.
Além desses impressos, a polícia também recolheu textos escritos de próprio punho pelo atirador, nos quais ele tece considerações sobre religião e conceitos de bem e mal.
Um trecho diz: "[...] faço todos os dias minha oração do meio-dia que é a de reconhecimento a Deus e as outras cinco que são de dedicação a Deus e umas 4 horas do dia passo lendo o Alcorão [...] e algumas vezes medito no 11/09".
Em outro trecho, o atirador registra: "meu tempo livre entrego a Deus ao invés de entregar aos prazeres passageiros do mundo... e sei que Deus olhará para meu sacrifício e minhas ações neste mundo com muito favor e satisfação e sei que serei muito bem recompensado." 

Bem sugestivo....




2 comentários:

  1. Percebo a sua tendência a distorcer fatos em favor de suas opiniões lamentáveis e indignas sobre o Senhor, mas ele te perdoará.

    ResponderExcluir
  2. Indignas? Só porquê contrariei a sua fé? E quais foram as minhas tao graves distorções?! Acho que os fatos estão do meu lado, e é você quem está a distorcê-los...

    ResponderExcluir