sábado, 10 de março de 2012

O literalismo e a intolerância do Padre Paulo Ricardo, o "Silas Malafaia" da Igreja Católica


O que pode ser pior do que Silas Malafaia, o pastor protestante pentecostal que defende e prega a teologia da prosperidade com uma veemência colérica, a ponto de chamar os seus colegas de profissão que não estão dispostos a cobrar pela salvação, de idiotas? Ou o Silas Malafaia que prega a homofobia através da interpretação literal da Bíblia? Silas Malafaia certamente representa o pior da teologia da prosperidade dentro do universo pentecostal, mas com certeza não é o único. O que faz dele uma figura de destaque neste ofício da usurpação através da fé alheia (duvido que ele próprio tenha alguma fé verdadeira) é a maneira colérica, abertamente preconceituosa e agressiva com que costuma pregar. Esta é uma atitude raramente associada aos padres da igreja católica, que costumam ter um maior apego à liturgia, à sacralidade da igreja e que geralmente os levam a ter maior comedimento verbal. Aliás, esta é uma atitude que é repudiada por muitos neopentecostais, como bem demonstrou o bispo Edir Macêdo neste vídeo em que ensina a jovens obreiros da sua Igreja o que o povo espera de um líder religioso, lembrando a timidez dos padres e o "botar para quebrar" dos pastores da Universal (2 minutos e 10 do vídeo).



Mas há um "new kid on the block" na Igreja católica que causa estardalhaço: O Padre Paulo Ricardo é uma espécie de alter ego católico de Silas Malafaia. O clérigo da arquidiocese de Cuiabá acha que a Igreja Católica precisa ser reformada e ele tem se empenhado com paixão a esta nova cruzada. Nas suas próprias palavras, a Igreja sofre hoje de uma espécie de "AIDS espiritual". Seria como se os seus valores mais sagrados estivessem sendo destruídos pela complacência do establishment católico com a tolerância religiosa, pela adoção de atitudes mais progressistas na sociedade e pelo indecoroso desapego à interpretação literal das escrituras. Acredito que a analogia com a AIDS não tenha sido mero acaso, abrigando ali um preconceito sutil...arrisco especular que o padre acredite que a AIDS espiritual da qual sofre a igreja é uma doença que pode levá-la à ruina pelo afastamento pecaminoso de seus valores e dogmas, de forma análoga com que a síndrome da imunodeficiência "castigou" os homossexuais pelo pecado que cometeram atentando contra os conselhos sagrados da Bíblia (quem tem alguma dúvida de que a interpretação literal da bíblia é homofóbica leia Levíticos 18-22). Com suas investidas contra os padres que não usam batina, contra os "padres-boy" que vivem "no mundo" como ele costuma ironizar, o padre provocou a ira de seus colegas da arquidiocese de Curitiba que solicitaram o seu afastamento das suas atividades de magistério (que me desculpem aqui os verdadeiros professores). Uma legião de séquitos saíram em sua defesa e abaixo-assinados pipocaram na Internet. Aparentemente o padre não está sozinho ao defender uma interpretação literal das escrituras, ao dizer que os padres precisam usar suas batinas, ao condenar os setores mais progressistas da igreja católica que estariam mais preocupados em agradar aos homens do que a Deus, ao denunciar os padres-celebridades que deturpam a verdadeira missão da Igreja. As opiniões se dividem. Há muitos padres que talvez se regozijem secretamente por terem um porta-voz tão corajoso e disposto a defender ideias que sejam tão politicamente incorretas, mas fieis aos dogmas católicos. E há também uma boa parte de seus colegas de profissão que se sentem pessoalmente ofendidos pela sua crítica, que acham que o padre está equivocado ao "reduzir a rica tradição da Igreja a um pequeno número de normas e restrições" como escreveram na carta solicitando o seu afastamento. A mim nada poderia soar mais retrógrado e atrasado do que as ideias do padre Paulo Ricardo. Mas eu sou um ateu confesso e não tenho a menor simpatia por uma instituição que historicamente representou tamanho obstáculo ao livre-pensamento, às liberdades individuais, que apoiou a escravidão e que matou mais gente neste planeta do que muitas guerras, e que ainda hoje tenta em toda a oportunidade se imiscuir nos assuntos mais importantes de um estado que se diz laico. Já para os adoradores da fé católica, confesso que não consigo entender tamanha oposição a um personagem cujo único defeito é defender a interpretação literal das escrituras. Certamente que existem setores progressistas da Igreja que defendem uma maior liberdade interpretativa da bíblia, mas a tão apregoada tolerância deveria servir também à defesa de uma convivência pacífica com os que pensam diferente. Talvez tenha sido por esta razão que o jornalista Reinaldo Azevedo acusou os detratores do Padre Paulo Ricardo de estarem pregando um "cristianismo stalinista". Discordo de quase tudo o que este jornalista defende, mas tenho que admitir que ele talvez esteja certo ao comentar que talvez o único pecado do padre Paulo Ricardo tenha sido "ser católico demais". Pelo menos ninguém pode o acusar de hipocrisia. O padre Paulo Ricardo só faz escancarar - sem a máscara conveniente da tolerância e do politicamente correto - o que esperar de um mundo aonde a bíblia é considerada a palavra final em termos de ética e moral. Para mim, ele é uma espécie de garoto-propaganda (qualquer semelhança com Carlos Moreno é realmente uma infeliz semelhança) que nos faz lembrar dos perigos da intolerância e do literalismo bíblico/religioso. Não assinarei abaixo-assinados, mas torço para que ele continue nos iluminando com a mensagem de intolerância que revela de forma tão flagrante os males da religião.

41 comentários:

  1. Antes de entender que não se tratava de "coisa" alguma, sempre tive uma espécie de "fé" que não se encaixava em lugar nenhum, justamente por não aceitar literalismos - sobretudo os bíblicos - e confesso que, ao superestimar o livre-arbítrio de cada um em suas escolhas, sempre acreditei que uma religião ou outra não causava mal algum a quem a seguia e que a forma de encontrar paz de cada um era algo muito pessoal e que não cabia a ninguém questionar as escolhas religiosas das pessoas. Todavia, ao tornar-me apenas um pouco mais atenta, consigo perceber o mal que as religiões tem inflingido ao mundo pela arrogância, preconceito, falta de tolerância e defesa colérica (para não dizer quase "bélica", em alguns casos) que cada uma delas impõe. Por isso adorei o final do seu post: "...torço para que ele continue nos iluminando com a mensagem de intolerância que revela de forma tão flagrante o mal da religião".

    ResponderExcluir
  2. Sim, é pior porque ele diz ser isso resgate da tradição. Tradição que ele mesmo cunhou na geração pós-malafaia. Se discordar, você o está perseguindo, é marxista e comunista. Tempos de incontinência verbal de quem diz estar em defesa da paz. E tem gente que acredita.

    ResponderExcluir
  3. Paz...ele parece muito obcecado com a danação, a idéia do inferno, do pecado..Eu acho que nem 20 anos de psicanálise podem trazê-lo de volta à sanidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. RIDICULAS ESSAS TUAS PALAVRAS!
      Só pode ter acontecido alguma coisa grave na tua vida e tá querendo colocar a culpa em Deus!
      Só pode!

      Excluir
  4. 'literalismo bíblico' na ICAR...
    Isso só pode ser pronunciado por quem não entende patavinas de ICAR...
    Uma pena, Eduardo.

    ResponderExcluir
  5. A religião causa muitos males, o ateísmo é um deles.

    ResponderExcluir
  6. Interessante esta idéia: o ateísmo é provocado pela religião! Gostaria que os comentários fossem menos lacônicos. Parece até que as pessoas que postam os seus comentários aqui possuem tanta autoridade que só precisam anunciar uma idéia. Ou talvez a argumentaçao seja tão fraca que só o que resta é a retórica laconicamente vazia...

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. O Pior texto que eu ja li.
    TUDO FALÁCIA....(se é que o autor sabe o que é isso sem pesquisar no google).
    FALÁCIA Ad Hominem...ou seja ofensiva diretamente a pessoa...

    Engraçado esses mesmo que se dizem querer Paz e atacam as religiões são os primeiro a discriminarem, excluirem, não pregam a paz e ainda ofendem a VERDADE...(a claro por ter usado a palavra verdade vão me chamar de Dogmático)....engraçado...sou mesmo...sou CATÓLICO e sinceramente...Incomoda quem sabe falar a verdade...
    Mais engraçado: vivem tanto na mentira que quando alguem sabe ser verdadeiro e sincero a pessoa é chamada de louca, fanática, ou intolerante e fundamentalista e claaaro: ignorante etc....

    Me poupe néh desses discursórios de revoltadinho que mal sabem o que governa seu próprio País...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pater, sem tirar nem ... Opa, acrescento: Quantos anos este rapaz, homem ou garoto, a quem podemos requerer de volta nosso tempo perdido ao ler este post, tem?

      Não sou contra ateus, os respeito, porém a forma como este expressou-se fere a todos sem pestanejar.
      Ok, todos os religiosos são idiotas e, alguns, dão seu dinheiro e, outros, obediência vital por décadas sem ter nada, nadinha em troca. Caro senhor, ó razão do ser, por favor diga-me onde moras exatamente pois em minhas próximas férias gostaria de visitá-lo, já que deves ter respostas alternativas às religiosas às incríveis histórias que tenho para lhe contar, e, com a graça de sua excelência, livrar-me de minha obscura BURRICE. POR FAVOR..., conheces apenas o que está nos livros, não é?
      Todo ateu que se preza, para continuar a ser respeitado como tal, deveria conhecer BEM o "outro lado", ou seja, além do que está escrito, as pessoas, suas histórias, o que têm para contar, os mais esclarecidos (mais velhos que você de preferência) sobre o assunto - isto antes de pôr-se um estágio acima da evolução humana e subjulgar a todos como seus inferiores.
      Tenha humildade ao procurar informações, seja disposto a aprender com o tempo, pois você mudará de opnião quanto mais estudar e velho ficar, e seja mais imparcial e modere as suas palavras ao atacar a maioria expressiva, caso contrário aguente desabafos como este!
      Grande abraço e sucesso em sua caminhada. Sinto desapontá-lo em não ofender-lhe como o sr. gostaria de ser ofendido.

      Excluir
    2. RIDICULAS ESSAS TUAS PALAVRAS!
      Só pode ter acontecido alguma coisa grave na tua vida e tá querendo colocar a culpa em Deus!
      Só pode!

      Excluir
    3. valeu valeu mesmo so falam asneiras . viva o padre e viva o pastor silas malafaia falar a verdade ofende .

      Excluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Verdade? Tipo, aquelas que estão na Bíblia, seu livro sagrado?...terra de 10.000 anos, animais criados em 7 dias, apedrejar a mulher infiel...são estas as suas verdades e valores como católico? E tem certeza que você como católico tem alguma bagagem para vir falar de PAZ?! E ainda sou eu que tenho que ir ao dicionário descobrir o significado da palavra falácia?! Que tal você ir aos livros de história saber um pouco mais sobre a contribuição para a paz mundial que historicamente a sua instituição religiosa legou à humanidade??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tens razão em parte, Eduardo. Mas a sociedade e a igreja católica evoluíram juntas, uma vez que ambas são compostas por pessoas. Se julgarmos os católicos de hoje pelo que os católicos de séculos atrás fizeram, ou mesmo os da segunda guerra mundial fizeram, teríamos que ter o mesmo juízo sobre os alemães e outros povos, que "recentemente" até, fizeram barbaridades.
      Sabes qual a resposta de um jovem alemão caso o indagues sobre a segunda guerra? Este vai dizer-te que este foi um erro de seus avós e bisavós, e que eles, os jovens, não devem ser culpados por erros que não cometeram. Sinceramente, acho que eles têms razão.

      Excluir
    2. Ah, não sou católico, caso isto o interessar possa. ;)

      Excluir
    3. RIDICULAS ESSAS TUAS PALAVRAS!
      Só pode ter acontecido alguma coisa grave na tua vida e tá querendo colocar a culpa em Deus!
      Só pode!

      Excluir
    4. RIDICULAS ESSAS TUAS PALAVRAS!
      Só pode ter acontecido alguma coisa grave na tua vida e tá querendo colocar a culpa em Deus!
      Só pode!

      Excluir
  11. Está aberta a disputa de quem é o mais caricato: Pater Noster ou Eduardo Oliveira?
    Eu voto nos dois! :D

    ResponderExcluir
  12. Eduardo vá viver o seu ateísmo em paz.

    Não se preocupe com Pe. Paulo. Deixe que nós católicos no preocupemos com ele.

    Argumentos? Pra que?

    Eu particularmente não preciso disso.

    A sacralidade de Igreja está muito acima dessas ninharias da argumentação.

    Mais paz amigo.

    Sinta menos raiva das crenças dos demais.

    ResponderExcluir
  13. Luciano...não tenho raiva da sua crença, mas tenho muita raiva da sua igreja..E quanto à paz, quanto mais melhor..Desejo-te também muita paz...se bem que, com a idéia do inferno, do pecado e da danação sempre à sua volta, imagino que terá um pouco de dificuldade em encontrá-la...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. RIDICULAS ESSAS TUAS PALAVRAS!
      Só pode ter acontecido alguma coisa grave na tua vida e tá querendo colocar a culpa em Deus!
      Só pode!

      Excluir
  14. Tiago 1:27

    Para Deus, o Pai, a religião pura e verdadeira é esta: ajudar os órfãos e as viúvas nas suas aflições e não se manchar com as coisas más deste mundo.

    ResponderExcluir
  15. Caro Eduardo, é uma pena vc nao ser capaz de enxergar que este padre luta contra tudo aquilo que fez vc repudiar a Igreja Catolica: os infieis ao evangelho. Particularmente, me toucou vc aceitar que ele "é catolico demais" e "nao hipocrita". Ou seja, ele é tudo aquilo que esperavamos da Igreja mas raramente ou nunca tinhamos visto. Infelizmente, vc nao percebe que como um ateu que tem certeza de que Deus nao existe, está sendo tao fundamentalista quanto aqueles que acusa. Não crer em Deus é professar uma fé, é ser fanático, é uma atitude religiosa. Seu ateismo é uma religiao cruel. Quem não vê no proximo a imagem e semelhança de Deus, nunca irá respeitá-lo. Se Deus nao existe, que bela porcaria indigna de respeito é o meu proximo. Que diante do outros, por uma conduta politicamente correta eu digo respeitar, mas se ninguem estiver vendo posso ser cruel e sanguinario. Por fim, vale lembrar o final da vida dos seus ídolos filosofos ateus como Nietisch e outros cuja atitude religiosa ateia os destinaram um final de suas vidas em hospitais psiquiatricos em completa loucura. Nisso, esses filosofos são a grande prova da existência de Deus: quando eliminamos Deus de nossas vidas, terminamos loucos, sem esperança, desesperados, sem conhecer o que é o amor.

    ResponderExcluir
  16. Texto muito ruim!!! muito mesmo! PADRE PAULO RICARDO É UMA DAS COISAS MELHORES QUE JÁ ACONTECEU PARA A IGREJA CATÓLICA!
    E não só para a igreja, mas para toda população. Pois em suas lutas diárias, ele mostra-se bastante humanista e PRÓ-VIDA! Não existe preconceito em seus ensinamentos, existe AMOR e RESPEITO! Só não entende quem é CRISTOFÓBICO ou anti-religioso!

    ResponderExcluir
  17. Caro Anônimo,

    Adoraria perceber um pouco de coragem da sua parte e ver você sair da covardia do anonimato: Gosto muito de saber com quem falo. Mas na sua resposta ao meu texto, eu só consigo encontrar os velhos e entediantes argumentos dos fundamentalistas religiosos que parecem não conseguir mais pensar por conta própria, além de, no fim da sua fala, perceber uma boa dose de ódio, um sentimento nada cristão. Primeiro, quero dizer que o ateísmo não é religião. Eu não tenho nenhum dogma, não preciso fazer jejuns, não tenho que deixar meu cabelo comprido, posso usar calças jeans, não me comunico com amigos imaginários. É claro que eu não posso provar exatamente a inexistência de Deus, mas tenho excelentes razões para acreditar que sua existência é uma improbabilidade tão grande que não me resta outro caminho senão o ateísmo. Quanto ao "Quem não vê no próximo a imagem e semelhança de Deus, nunca irá respeitá-lo", é claro que é uma afirmação patética. A cadeia está cheia de cristãos condenados pelos mais variados crimes, incluindo homicídios, estupros, e outros crimes hediondos. Respeitar o próximo é algo que fazemos em decorrência de um sentimento natural e que independe da religião: a empatia. Pessoas normais, que foram criadas em condições de carinho e acolhimento se incomodam com o sofrimento alheio. Fazemos isso não porquê tememos o chicote divino, mas porquê somos seres desenvolvidos, com um sistema nervoso capaz de empatizar com a dor alheia. Se a principal razão pela qual você faz o bem é o medo de ir para o inferno porquê seu amigo imaginário tudo vê, eu acho que você é, além de cristão, um covarde.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dizer que o próximo tem que ser respeitado baseado num sentimento é no mínimo infeliz. E as pessoas que não tem este sentimento ou os níveis desse hormônio forem alto ou baixo? São anormais? Por que acho que não devemos fazer o mal a ninguém, mas nem por isso tenho que me importar com elas. Se eu quiser ... tudo bem, senão... tudo bem também. Sou ateu e fui criado em um ambiente de carinho e acolhimento, mas nem por isso acho que tenho que “empatizar” com a dor alheia. Ou será que vou pro inferno por causa disso? Ai que meda.

      Excluir
  18. "Amigo"
    Para quem será sua próxima bala? Vai atirar a esmo? Será padre ou pastor?
    Se, alguém o colocasse, num ínterim, no centro de um jardim florido e perfumado, com certeza, você só perceberia o besouro empurrando sua bolinha de esterco.

    Pax semper!

    http://umamensagemparavoce.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  20. Zezinho, Não tenho atirado à esmo, meus alvos são cuidadosamente escolhidos, com a frieza calculista de um racionalista incorrigível. Mas não há razão para você disfarçar a sua falta de afinidade com o autor deste blog digitando um amigo entre aspas. Não somos mesmo amigos. Não seremos nunca provavelmente. Quanto às suas elucubrações sobre o meu senso estético, talvez você se surpreenderia de saber que este ateu deu mais atenção à contemplação estética (seja na pintura ou na fotografia, dois hobbies que cultivo com muita paixão)do que a maioria dos seus irmãos católicos jamais terão a sensibilidade de fazê-lo. Ademais, há imensa beleza em um besouro empurrando sua bolinha de esterco. Leia um pouco menos a sua Bíblia e um pouco mais sobre ciência e talvez você possa se elevar a ponto de enxergar beleza onde, aparentemente, só existe esterco.

    ResponderExcluir
  21. Antonio e Zezinho, obrigado por terem se manifestado...
    Padre Paulo Ricardo #tamojunto

    ResponderExcluir
  22. Erros bizarros nesse texto. A Igreja Católica é a fundadora de tudo que há de bom nesse mundo, orfanatos, casas de idosos, hospitais, escolas, universidades e é inclusive, mãe da ciência. Ora, se ela fundou as universidades e se Copérnico era sacerdote, vais querer discordar?
    Depois, ela acelerou o processo de inclusão das mulheres na vida social, abrigando as viúvas principalmente. Também é criadora dos feriados, na época em que realmente havia opressão nas fábricas.

    ResponderExcluir
  23. Agora, o texto é extremamente acusador, ou seja, quando não se tem argumentos suficientes para derrubar o outro, você foca em atacar o outro. Exatamente o que vemos aqui, a começar pela imagem. Ele nunca falou AIDS na Igreja nada disso... Ou seja, o autor desse texto desconhece quase que totalmente, tanto o Padre Paulo, como a própria Igreja Católica, sua história e sua doutrina.

    Ano do terror da revolução francesa matou mais gente que 2 séculos de inquisição católica, ou seja, pouquíssimos casos levavam a morte.

    ResponderExcluir
  24. Sem falar que a escravidão ressurgiu com o Renascimento. Antes disso, a Igreja havia conseguido eliminar a condição de escravo e substituí-la pela condição de Vassalo, que possuía direitos. Sem falar que a Igreja lutou contra a escravidão dos indígenas pela América.

    ResponderExcluir
  25. Jonatan...volte à escola e leia seus livros de história e não somente os cadernos de catequese da sua dorada Igreja. Falar que a Igreja fez algo de bom aos índigenas do continente americano é de uma vara de pau sem tamanho. Ela foi na verdade, responsável direta e indiretamente pela dizimação destes povos, com o consentimento das bulas papais. Ah, e que grande avanço a "evolução" da escravidão para a vassalagem...pelo amor do seu Deus, me poupe...

    ResponderExcluir
  26. Como todo fanático religioso Padre Paulo Ricardo é um doente mental. E para piorar é um doente mental que segue e repete tudo aquilo que outro doente mental lhe dita: ele é seguidor do louco Olavo de Carvalho que anda fazendo a cabeça de muitos imbecil. Ele é mais um adepto do guru da extrema direita. Esses fanáticos conseguem seguidores imbecis que se transformam em massa de manobra que apoiam e fazem tudo que seus líderes querem. Esse é um tipo extremamente Perigoso, uma ameaça real a liberdade de pensamento e de religião. Fico abismado que um Padre fanático e extremista como esse que é qualquer coisa menos cristão tenha liberdade plena de incitar o ódio e a intolerância com as diferenças e os diferentes pela internet com o aparente consentimento de seu Bispo. Tipos como padre Paulo Ricardo deveriam ser silenciados pelo bem da Humanidade! Graças a tipos como esse ocorrem guerras religiosas e as religiões prosseguem mostrando seu pior lado: fomentar preconceitos, intolerância , guerras e ódio contra as diferenças;

    ResponderExcluir
  27. DE TAO BEM QUE ESTAS RELIGIÕES FAZEM AO PLANETA QUE TEMOS EM CURSO ATUALMENTE MAIS DE 200 GUERRAS EM ANDAMENTO AO REDOR DO MUNDO MILHÕES DE REFUGIADOS DOIS BILHÕES DE FAMINTOS TRÊS BILHÕES DE POBRES E POR AI VAI! E TEM CRÁPULAS ANENCÉFALOS QUE DEFENDEM ESTA MERDA TODA DE RELIGIÃO !!!

    ResponderExcluir
  28. A VERDADEIRA RELIGIÃO E AQUELA ENSINADA NUMA FRASE BEM SIMPLES: FAÇA AOS OUTROS OQUE GOSTARIA QUE ELES LHE FIZESSEM E AME AO TEU PRÓXIMO COMO ATI MESMO, MAS ME PARECE QUE NINGUÉM APRENDEU ESTAS REGRAS SIMPLES VERDADEIRAS E EFICAZES AINDA!!!

    ResponderExcluir
  29. Se preocupando muito em difamar o padre Paulo Ricardo. Se incomodando muito com a maneira dele pensar e falar. Bom sinal.
    Isso mesmo, continuem acompanhando. Mas cuidado: ele é perigoso, manobra as pessoas e quando vcs menos esperam, já foram fisgados.

    ResponderExcluir